Ser Bom não é Ser Óptimo

ser-bom-ser-optimo-blog-hugo-almeida-pratica-arte-atleta

Ser bom não é o mesmo que ser óptimo. 

 

Afinal, não é o número de horas de treino ou prática que é a exponencial da mestria. Nem sequer o talento tem tão grande expressão nesta caminhada.

Não existe apenas uma forma de chegar a Óptimo. Na realidade ser Bom em algo requer uma prática continuada e muito disciplinada, e é, precisamente, nesta caminhada que se encontram as direções a seguir para ser Óptimo.

Existem características pessoais que distinguem os Bons dos Óptimos:

Cada qual encontra detalhes e pormenores na sua idiossincrasia, ao praticar a sua arte. Revela-se, dessa forma, uma competência para uma aprendizagem constante, uma evolução em pormenores de forma somada, que elevam o resultado através de pormenores que, no fim, fazem toda a diferença.

Quem trabalha para a excelência acaba por a encontrar quando mantém uma atitude diferente na sua prática diária, em cada momento da sua jornada. A mentalidade de felicidade pelo caminho, e a paixão pelo processo, e não somente pelo resultado, criam um ambiente mental de fertilidade na inovação e sentido criativo.

Esta combinação resulta que a pessoa que procura a excelência, sabe que ser bom é a parte inicial da sua tarefa. A pessoa que busca ser óptima, sabe que ao encontrar prazer nas partes do processo irá incrementar exponencialmente o seu crescimento, seja pessoal ou profissional.

Há que confiar no processo, e confiar em si mesmos para trabalhar no próprio processo.

Atitudes e competências são a base. O prazer pelo caminho, e a paixão pelo processo são os ingredientes da Excelência. 

___

Se pretender conversar mais sobre este assunto, pode encontrar os meus contactos na página de Contactos.

Publicado em 2021-10-29, por Hugo Miguel de Almeida.

follow

Acompanhe a jornada

Siga-nos e nunca perca um artigo do nosso blog. Apenas conteúdo original e autêntico sobre assuntos atuais.